Como fazer um mestrado no Exterior

O número de pessoas que busca por uma especialização fora do país cresce a cada dia, e para que tudo saia dentro da normalidade é importante ficar atento a alguns pontos. Quem deseja fazer um mestrado fora do Brasil deve planejar com no mínimo um ano de antecedência, pois vai passar por um processo seletivo que pode demorar alguns meses e algumas exigências são feitas pelas universidades estrangeiras, como, por exemplo, exames de proficiência do idioma.

É necessário apresentar também alguns documentos; normalmente o que se pede são cartas de recomendação e um texto pessoal com a descrição do projeto de pesquisa, além do diploma ou certificado de conclusão de curso e histórico acadêmico – todos devidamente traduzidos por profissionais juramentados na língua do país da instituição.

mestradoexterior

Fazer um mestrado fora do Brasil pode pesar no orçamento, mas existe a oportunidade de conseguir bolsas de estudo. Os interessados podem procurar diretamente a universidade ou buscar auxilio em agências de intercâmbio e órgãos oficiais dos governos onde estão as instituições de educação. O mais importante quando se resolve fazer um mestrado no exterior é decidir em que país você quer fazer o curso e pesquisar as universidades disponíveis, além de checar tudo o que for de interesse, como duração do curso, documentos necessários e se existe a possibilidade de conseguir uma bolsa – tudo sempre com muita antecedência.

Onde fazer um mestrado no Exterior?

Para quem vai cursar mestrado no exterior a universidade pode pedir, em alguns casos, um projeto de pesquisa prévio, que se canaliza em uma chance de mostrar a viabilidade da pesquisa proposta. Depois de enviar seu projeto busque informações com o chefe de departamento da universidade, peça sugestões, mostre interesse e procure saber quem poderá ser seu orientador.

mestradoexterior8Se a escolha for por uma universidade dos Estados Unidos, além do teste de proficiência do idioma, algumas instituições exigem outros exames de conhecimento, como o GMAT, voltado para a área de business, e o GRE, teste de aptidão para pós-graduação que não seja MBA. Ambos têm validade de cinco anos. Algumas universidades podem pedir que o Ministério das Relações Exteriores valide os documentos acadêmicos, sendo necessário que o estudante envie os documentos à Brasília. Este serviço é gratuito, e todas as informações sobre os processos estão no site do MRE.

Como fazer um Mestrado no Exterior

Para fazer o mestrado no exterior o estudante deve preparar para arcar com muitas despesas.Em média o candidato pode gastar até 40 mil dólares por ano, apenas com os estudos. Com moradia e alimentação as despesas ficam em torno de 15 mil reais por ano – isso só nos EUA. No Canadá o curso custa aproximadamente 12 mil dólares canadenses, e as demais despesas assemelham-se às dos EUA. Já se o destino escolhido for a Austrália o curso fica em torno de 45 mil reais, e na Inglaterra pode custar 60 mil reais. O normal é que o pagamento do semestre ou anuidade seja feito antes do estudante viajar.

Com tantas exigências e valores altos para fazer um mestrado fora do Brasil o melhor é que o candidato se prepare com bastante antecedência para evitar transtornos, podendo escolher o curso certo, que vai agregar valor na vida profissional, obtendo retorno no futuro. Afinal, participar de um processo seletivo de mestrado – e cursá-lo – é difícil, oneroso, mas muito recompensador em qualquer lugar do mundo. Já falamos aqui sobre como fazer um mestrado na Argentina, que em todas as opções de mestrado no exterior e uma das melhores.

Faça um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *