Discurso direto e indireto – Exemplos e Dicas

É frequente o narrado trazer ao texto a voz ou o pensamento reais ou fictícios. Ele pode fazer isso em:

• Discurso direto, ou seja, reproduzindo as palavras da personagem ‘’Joao olhou para os filhos e disse: – Não podemos viajar hoje.’’

• Discurso indireto, isto é, referindo apenas o conteúdo do que foi dito: ‘’Joao olhou para os filhos e disse que não podiam viajar naquele dia.’’

• Discurso indireto livre, que é uma mistura dos dois: ‘’João olhou para os filhos. Não podiam viajar naquele dia.’’
O discurso direto e o indireto prevalecem no texto dissertativo argumentativo. Por meio deles o emissor refere informações, dados estatísticos e, sobretudo, a opinião de pessoas que lhe interessa citar. A fala dos personagens nesses tipos de discurso é introduzida por um grupo de verbos chamados ‘de dizer’, que geralmente se encontram no perfeito do indicativo. O principal deles é ‘dizer’, mas aparecem outros como ‘ falar ‘, ‘ indagar ’, ‘ objetar ’, ‘ assentir’, ‘gritar’, ‘ aconselhar ‘, ‘manda ’, etc.
O discurso direto atualiza a fala das personagens. Já o indireto remete essa fala ao passado. Diante disso, ao se passar de um discurso para outro, é preciso ficar atento às transformações que ocorrem nos tempos verbais, nos pronomes e em determinados advérbios. Mas quando o verbo ‘ de dizer ’ está no presente, ou discurso direto figuram verdades atemporais, não ocorre mudança no tempo verbal (ver quadro abaixo).

 

Discurso Direto Discurso indireto
– A turma está suspensa – disse o diretor. O diretor disse que a turma estava suspensa.
– Desisti de me candidatar – confirmou o secretário. O secretário confirmou que desistira de se candidatar.
– Partirei amanhã no primeiro avião – prometeu Osvaldo Osvaldo prometeu que partiria amanhã no primeiro avião.
– Não deixe a casa – pediu-lhe a mãe A mãe lhe pediu que não deixasse a casa
– Vou ler este livro agora – disse Vera Vera disse que ia ler aquele livro naquele momento.
– Confirmo tudo que testemunhei – diz o réu. O réu diz que confirma tudo que testemunhou.
O mestre ponderou: – Na vida tudo passa O mestre ponderou que na vida tudo passa.

A melhor forma de estudar os tipos de discurso e praticá-los nas redações. Ao fazer citações e criar diálogos, o aluno percebe qual a melhor forma de incorporar diferentes vozes ao texto.

Um procedimento eficiente é transformar um tipo de discurso em outro, e observar o efeito obtido. Na passagem seguinte, do romance Lucíola, José de Alencar apresenta a fala da personagem em discurso direto:

‘ Não há modo de livrar-se uma pessoa desta gente! São de uma impertinência! – disse ela mostrando os pobres e esquivando-se aos seus agradecimentos.’

A transformação nos dois outros tipos de discurso ajuda a perceber uma importante diferença: enquanto no discurso ajuda a perceber uma importante diferença: enquanto no discurso indireto o narrador se limitas a informar o que a personagem diz, ou sente, no indireto livre faz transparecer a disposição afetiva:

  • Discurso indireto: ‘ Ela disse, mostrando os pobres e esquivando-se aos seus agradecimentos, que não havia modo de livrar-se uma pessoa daquela gente. Eram muito impertinentes.’
  • Discurso indireto livre: ‘ Ela disse, mostrando os pobres e esquivando-se aos seus agradecimentos, que não havia modo de livrar-se uma pessoa daquela gente. Eram de uma impertinência!’.

 

Faça um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *